Um pouco da história do Reiki.

s_reiki_tit

A fim de conhecer um pouco da história do Reiki, farei uma síntese de três personagens marcantes para a difusão do sistema: Mikao Usui. Chujiro Hayashi e Hawayo Takata. Para tanto, valho-me, sobretudo, das pesquisas de Frank Aljava Petter, já citadas em Transforme sua vida com o Reiki.

Mikao Usui

mikao

Muitas são as versões a respeito de Mikao Usui e da disseminação do Reiki no Ocidente. Há quem sustente que o dr. Usui era cristão, enquanto outros afirmam que, na verdade, ele era budista, tendo sido considerado cristão apenas para que a sociedade norte-americana e, de um modo geral, o Ocidente aceitassem o Reiki com mais facilidade. Mikao Usui nasceu no dia 15 de agosto de 1865, na província japonesa de Gifu.

Foi casado com Sadako Suzuki, com quem teve dois filhos. Faleceu em 9 de março de 1926, em virtude de uma apoplexia cerebral. Supõe-se que tenha começado a ensinar Reiki por volta de 1920. Já em 1921, abriu uma clínica em jarajuku, Tóquio, perto do santuário Meiji (Meiji Jingu).

Como notícias de seu trabalho espalharam-se por todo o país, mudou-se para uma casa maior, em Nakano, no ano de 1925.

Consta da pedra do memorial do dr. Usui no cemitério de Saiho-ji, em Tóquio, que seu filho teria assumido os negócios da família. Embora os pesquisadores ainda não tenham identificado a natureza desses negócios, ela não se aplica a uma clínica de Reiki.

Pesquisas demonstram que, ao contrário do que se afirmava, o dr. Usui não era cristão e não lecionava na Universidade Doshisha, em Kyoto, onde também não figurou como aluno, assim como na Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, onde pretendia ter ele estudado. Também não era médico no sentido corrente da palavra: o “doutor” que lhe antecede o nome é uma tradição livre do vocábulo “Sensei”.

Segundo Fumio Ogawa, citado por Frank Arjava Petter como chefe do ramo Shizuoka da organização fundada por Mikao Usui, este trabalhou como secretário particular de Shimpei Goto, político que foi Secretário do Departamento de Estradas de Ferro, Diretor Geral dos Correios e Secretário do Interior do Estado, que se tornou prefeito de Tóquio em 1922.

Interessado em conhecer métodos de cura (segundo alguns pesquisadores, era versado em, entre outros sistemas, Taoísmo e Kiko, versão japonesa do Qigong), o dr. Usui estabeleceu uma série de contatos e pesquisas, inclusive sobre a Medicina Tradicional Tibetana. Em 1914, Mikao Usui viajou para o Monte Kurama ( a oeste ( de Kyoto) a fim de meditar. Lá, conforme atesta a inscrição tumular, teria sentido a energia Reiki durante um jejum de 21 dias. Reza a tradição que o dr. Usui havia separado 21 pedrinhas, que atirava ao longe, a cada dia de meditação.

Ao final do processo, sentiu-se pleno de uma grande força curativa. A essa energia associou todo o conhecimento anterior, sobretudo de Kilko e de símbolos dos monges budistas, os quais teria visualizado ao receber a poderosa carga energética. Ao descer a montanha, feriu o pé numa pedra. Impondo a mão sobre o pé machucado, o sangue estancou numa velocidade surpreendente e a dor desapareceu de imediato. Numa estalagem, Mikao Usui, por estar com muita fome, solicitou uma refeição abundante. O proprietário, ao perceber que o cliente havia passado dias em jejum e meditação, sugeriu algo mais leve. Contudo, o dr. Usui consumiu tranqüilamente toda a refeição. Além disso, ao perceber que a jovem que lhe havia servido usava uma bandagem, em virtude de um inchaço provocado por uma dor de dente, solicitou-lhe autorização para lhe impor as mãos. O inchaço desapareceu em poucos minutos e, logo em seguida, a dor de dente: a garota estava curada. Quando retornou ao mosteiro onde havia se hospedado, o Dr. Usui livrou, ainda, um amigo de uma artrose nos joelhos, impondo-lhe as mãos.

Essa é apenas uma parte de sua história, amanha vou falar um pouco de Hawayo Takata e Chujiro Hayashi.

BLOG